domingo, 20 de dezembro de 2009

NATAL

Tempo de renovação
Mudar o que precisa
Doação.

sábado, 28 de novembro de 2009

Contato

um instante triste,
pensamentos ruins,
teu toque e tudo se desfaz.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Declínio Completo

Eu morro hoje,
Entre a tarde que cai
E a noite que entra.
No clarão da lua redonda.

Tu ris e deliras.
Estás livre e saltitante,
Cantigas de um amor
que ora finda.

Desumana alma
Dei-te os melhores anos
Aninhei teu colo no meu
Sofri tuas dores e prantos.

Agora essa partida solitária
Apenas a esperança no amanhã
Revive nas preces ao criador e
afasta as nuvens negras do desamor.

Hoje, só eu choro minha morte.

sábado, 31 de outubro de 2009

Poetrix 17

Banho

teu perfume cítrico
óleos corporais
sabonete de maracujá.

Ao vento
(burilado pelo Dreyf)

teima, o tempo,
se deixa levar.
como a brisa carrega o mar.

Cielo

chegou a glória
não à galope
mas (a)braçada.

Angústia

inquietude que oprime
coração vazio de ti
impotência no querer.

Felicidade

estado da nossa alma
juntos ou separados
ventura do nosso íntimo.

Poetrix 16

Vento

leva e trás
arrasta tudo que pode
sopro da vida.

Fútil

mente vaga
depósito de ilusão
demente.

Poder

sobe pra cabeça
desce para os pés
grande queda.

Avesso

revire_ME
frente e verso
para você.

Poesia

viaja nas asas dos sonhos
inunda sonhos noturnos
paixões e lembranças.

Poetrix 15

Hibernando

Fugindo da vida
escondendo mágoas
paralisando ocoração.

Sombra

ausência do teu sol
a iluminar meu coração
entristecido espírito, anoitece.

Crepúsculo

ocaso da vida
declínio de um amor bandido
abandono.

Casal

par ideal
dois em um
conjugados.

Alienado

no meio da multidão
perdido na vida
finge-se palhaço.

Poetrix 14

Intenso

Meio século
grandes conquistas
evolução pessoal.

RX

busca interior
sem beleza ou vaidade
achado: bondade.

Sombra

Me segue
impede sentimentos
interpõe dúvida.

Superação

ocaso se fez ontem
hoje lanço-me à vida
dia de renascer.

Colheita

Plantei no jardim
amor em penca
colhi bem-querer.

Poetrix 13

SILÊNCIO

O teu ressoa
dentro do quarto vazio
presença ausente de mim.

VOLTA

O mundo dá muitas voltas
volta e meia penso em ti
gira e volta de novo pra mim.

DOMINADO

Noite úmida sombria
ando passos apressados
no beco da minha mente.

FASES

Sou sol ou lua
calor ou frescor
sou fases.

ACONCHEGAR

cheiro de pele macia
chamego de mãos a roçar
teu colo, arrego, amar.

Poetrix 12

Declaração

Rabisco papéis a esmo
sentimentos são descritos
linhas de amor que não lês.

Saudosismo

Cabelos dourados ao vento
arrumados em tranças floridas
sabor de infância perdida.

Carinho

Minha mão desliza suave
na maciez dos teus cabelos
olhos fecham a sonhar.

Olhar

o infinito e além
buscar alcançar a paz
dentro do meu ser inquieto.

A cada minuto

pensar, parar, agir
fazer a vida passar
devagar sumir.

POETRIX 11

Ilusão

encanei meus sentidos
fugi da realidade
aportei nos teus braços.

Carteiro

mensageiro das novas
em tempos idos
hoje, encomendas e dívidas.

Cafuné

Mãos perfume de mulher
unhas coçando a cabeça
libertam sonhos adormecidos.

Traça

Viciada em sonhar
pendurada nos livros
devora o saber.

Brilho

da lua prateada
espelhada no azul do mar
nos teus olhos gateados.

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

VII CONCURSO INTERNACIONAL DE POETRIX

Em comemoração aos 10 anos de criação dessa linguagem poética.
Classificação 9° lugar com o poetrix:

NO MUNDO DA LUA
(Marília Baêtas - PA)

Vagam meus pensamentos,
flutuam qual astronauta.
Na terra, tua falta.

domingo, 25 de outubro de 2009

Amigas para sempre

Nasceu uma amizade.
Cesceu na presença constante
na troca de confidências
na simples sinceridade.

Concebida na família
em nosso rol de amizades
foi crescendo fortalecida
com toda dignidade.

E hoje mesmo distante
carregada de saudade
sempre se faz presente
nossa boa camaradagem.

PAZ

Noite de domingo
teclando poesia a teu lado
escuto o ressonar do teu sono
tranquilo,
trasmite serenidade
para a vida,
para a luta do dia-a-dia,
para te amar.

O céu troveja
e no azul escudo da noite
gotas grossas de chuva
desejam cair sobre nós.
Nada nos assusta.
A calmaria de nossos corações
derrama bençãos de paz
a nossa volta
qual redoma protetora.

Os fogos rugem no alto
louvando a virgem de Nazaré,
mãe da Terra,
iluminando de cores, vidas,
festejando a nossa fé.
Fecho meus olhos feliz,
peço proteção e paz
para o mundo
e para nós.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Reencontros

São tantos os reencontros que temos nesta vida. E tento entender esse porque. Sabemos que nada é por acaso. Acredito que todos eles sejam para crescimento espiritual e aprendizado. Reencontro com amigos, com pessoas especiais e por aí vai.
O reencontro com amigos, na maioria das vezes, é prazeroso, fácil de gerir e digerir. Um reencontro de afinidade, de atração, nem sempre. No início, achamos que tem tudo a ver, parece que aquele reencontro vai trazer uma imensa paz de espírito e você se deixa envolver por uma sensação de bem querer, se entrega de corpo e alma, parecem almas gêmeas, coisa dos céus, mais tarde aquilo tão gostoso se transforma em desesperança. Você entrou de cabeça e se ferrou. Mas como toda experiência, deve você sempre tirar o lado positivo das vivências e aprender. Porque se você se machucou foi porque permitiu isso. Criou expectativas externas. Mas, a vida é sábia e tudo passa... Hoje, passou.
Contudo, aconteceu outra vez, novo reencontro, apesar de não ser o mesmo caminho, de ser de um modo ímpar, daqueles que só a vida arquiteta, mesmo assim: “replay again”. A proposta agora é cautela. Imaginem, porém, dominar a ansiedade, controlar a vontade de querer acertar, de querer que dessa vez seja diferente, seja pra valer. No ouvido uma voz: prudência! Mas do outro lado da linha: uma voz fala carinhosamente:- e você, está bem? Nossa! Atenção e carinho fazem muito bem.
Lá vamos nós outra vez, com encantamento e entrega, com inteligência e experiência, com pés no chão e coração nas nuvens. Vamos vivendo agora, cada dia de uma vez, como mágico e único, como um amor maduro que sabe o que quer, para assim todas as luzes acender, o sorriso abrir e o coração espelhar a felicidade, traduzida num beijo.

POETA

da solidão da noite
negou o papel e a caneta,
virou internauta.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Outubro

quedas das mangas ao vento
odor de comida no ar
Círio de Nossa Santinha.

Pensamento

parado olhar te fita
no olho verde que mira
pensa na própria vida.

Urbano

Calor e carros nas ruas
zig-zag na direção
vôo razante pros teus braços.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Mormaço

Reflexo do dia
sol entrando pela abertura
da janela amarela.

Na sala amontoados
nós no sofá lilás
assobiando, chamando o vento.

Sopro entra quente
apelo do calor
de corpos apaixonados.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Poetrix 10

Cinema em casa

Apaga a luz,
cai o controle,
remoto, rolar no sofá.

Berlinda

Carrega a santa,
carrega a cabeça,
a prêmio.

Desnuda

tira a roupa
despe a alma
transparência.

Prece

Pedidos que flutuam
no pensamento traduzem
a vontade do coração.

As mãos em rogativa
imploram aos céus
o atendimento da oração.

Cabeça baixa,
Coração aflito,
sintonia com Jesus.

Nem todos atendidos,
necessidades irreais
ficam para trás.

Elevado agradecimento
mesmo do não atendimento,
só se recebe o que se tem
merecimento.

Nunca mais

E o vento trás
cantigas de ninar
na voz da lua.

E a lua banha
o céu azul-marinho
que reflete no mar.

E o mar desagua
lágrimas salgadas,
pela tua partida.

E eu amargo
o gosto da despedida,
você: nunca mais
na minha vida.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Noturno

Agitada noite
como as ondas
que batem no barranco.

A lua ilumina
nossos corpos
pela fresta da janela.

Sons do rio-mar
embalam nossos sonhos
debaixo das cobertas.

O entrelaçar dos nossos pés
anunciam o desfecho
do amor na madrugada.

Passarinho sonoro
anuncia manhã ensolarada
nós, enroscados,
doce despertar.

Poetrix 9

Amena saudade

Abracei teu cheiro
impregnado
no meu travesseio.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Felicidade

A noite derrama
teu perfume suave
na minha pele de algodão.

Levito ao som
de tuas palavras,
acordes musicais.

E invade meu peito
a tranquilidade de um lago
sorrindo para o céu.

Na paz da madrugada
meu coração encontra o teu,
felicidade instalada.

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Rio de Janeiro

Nas tuas ruas
seguimos de mãos dadas
na alegria de cada
amanhecer.

Nos teus morros
louvamos a Deus
pedindo paz
a todos os teus.

No Cristo
oramos juntinhos
buscando
paz no nosso caminho.

E em comunhão
de corpos e almas
retornamos à vida
tão bela e sagrada.

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Poetrix 8



não é estar sozinha
é estar com alguém
ausente.

Quente

é a noite que cai
lá fora,
foguete que estoura.

Zoom

da tela que enquadra
teu rosto
ficando o corpo de fora.

Rascunho

escrevo um poema triste
você prefere a TV
sina, solidão.

Perdida

Nesta noite quente,
corpo cansado
da lábuta diária,
desejo reprimido.

Você aqui e ausente,
o barulho da noite
ressoa, vozes, luzes,
algozes.

E eu... perdida em pensamentos.

quinta-feira, 21 de maio de 2009

sábado, 2 de maio de 2009

Reflexão

Tuas palavras traduzem
o teu íntimo conteúdo
de pessoa bela e humana.

São aprendizados,
singelos e sábios pensamentos
de uma vida leve e sofrida
nos trajetos sociais.

Na busca do aprimoramento
hoje te fazes forte e presente
na certeza do nosso sublime amor.

E, assim, caminhamos seguros
seguimos bem mais maduros
confiantes no amanhã
e na paz sempre sonhada.

Chegada

Na madrugada
com o vento frio da manhã
depois de infinitos dias
chegastes pra mim.

Doces beijos,
saudade saciada enfim
pelas tuas carícias
de homem-menino.

Os meus braços... o teu ninho.

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Ausência

São dias que parecem meses
uma eternidade, uma vida,
a partida se fez ferida
e a saudade... minha amiga.

Nesse rio caudaloso
de natureza e beleza
o horizonte fez-se infinito
e aumentou minha tristeza.

Mas o vento soprou suavemente,
tua voz querida foi ouvida,
distante, muito distante
mas, de perto se fez sentida.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Poetrix 7

Visão
sonhei que eras espelho,
eu, tua imagem,
ilusão do coração.

Doces Águas
do rio-mar
roubam tua presença
no embalo do barco silencioso.

Contemplação
do horizonte molhado
que transporta meu pensamento
além mar.

Primavera
Meu coração floresce,
lírios, margaridas, tulipas,
um setembro feliz.

terça-feira, 21 de abril de 2009

Poetrix 6

A verdade
tem duas caras,
a minha e a tua,
empatamos então.

Lua
fascínio e sedução,
brilho na escuridão
e tu, ausente...

Tua presença
foge da minha visão,
no coraçao te enquadro,
a toda hora, pelo pensamento.

Férias
do teu olhar perdido,
dos teus singelos beijos,
do teu corpo aquecido.

domingo, 15 de março de 2009

Consciente

De que te quero
hoje, enfim,
tenho certeza.
Amanhã sei também
o quanto te quero.
E no infinito
seremos dois
conscientes de que amar
é viver, em paz.

terça-feira, 3 de março de 2009

Manhã

Brisa leve
chega com o frescor
da manhã.
Invade nosso espaço
acariciando
a mente, o coração,
a razão.
E o despertar,
cântico dos pássaros,
nos derrama
bálsamos de luz.
Vida se faz presente
e nos surpreende
a paz.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Por que será?

Será que foi por que a porta fechou?
O orgulho machucou?
A solidão aumentou?

Será que foi pra provar
que sempre existirá alguém
que te queira amar?

Será que nas tuas verdades
existem escondidas
as marcas de uma saudade?

Será que tua mente
traduz realmente
o que te vai no coração?

Triste ilusão
de um passado que ainda não passou.

Poetrix 5

Sentimento

exaltado no início
foi ficando demodê
e o culpado é você.

Saudosismo

vontade
de tê-la de novo nos braços?
o orgulho estancou.

Paciência

lema dos apaixonados
tentar lado a lado
reverter a situação.

Repetição

Incomoda sempre
essa chuva de palavras
revividas pela tua boca.

Boca que beija
e fala
do que não mais existe.

Porta entreaberta,
solidão que cerca,
a mente não fecha.

Passado

Que não passou de todo
Que deixou rastros
no pensamento

Que foi pensado
ser resolvido
no coração e na mente

Que volta feito nuvem
de chuva
e molha nossos momentos.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Crepúsculo

Eram dezoito horas,
o cair da tarde
no trapiche traduzia
a beleza do momento.
Acima de nossas cabeças
redonda e branca
qual holofote
no céu,
a lua já emitia seus raios
de prata e abençoava nós dois.
O som alegre do vento,
o burburinho das pessoas,
o quebrar das ondas na areia
fazia festa em nossos corações.
Nos bastava aquele momento.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Sensação

De bem estar
embalada pelos
carinhos teus.

De bem querer
traduzida pelas
palavras tuas.

De bem viver
demonstrado pelos
modos teus.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Por-do-sol

E no cair da tarde
serena, dourada,
o pensamento corre solto
visualizando imagens,
saudades interiores.
E o sol vai declinando
horizonte ao longe
tornando-se uma nesga
manchando o céu.
E a noite vem chegando
embalada ao som cortante
das aves faceiras
que nos levam a sonhar.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Mosqueiro

Da tapioquinha da Vila,
do tacacá,
das praias de onda,
do rio-mar.

Do por-do-sol,
do raspa-raspa,
do Matapi
que a saudade maltrata.

Do carramanchão,
do chapéu-virado,
hotel do Russo
tudo mudado.

Da Praia do Farol,
da ilha dos amores,
que une e abriga
dois sonhadores (eu e você).

Momentos

Mágicos e encantados,
simples e singelos,
puros e completos,
doces e felizes.
São assim nossos momentos
quando estamos lado a lado,
mas qual aves livres e fagueiras
as nuvens sopram o tempo,
te levando pra distante de mim.

sábado, 24 de janeiro de 2009

Vontade + Ação + Transformação = Realização‏

Sim , nós poderemos , mas ...
é longe do simples afirmar , que pode ser tolhido pela falta de prática consistente
é longe do simples e protocolar gesto de estender as mãos , nossa sombra pode ter outras intenções ,
é ter mais que palavras / frases escolhidas a dedo , dos dedos facilmente elas podem escorregar ,
é ter mais que olhos nos olhos , olhos que às vezes piscam e se dispersam pelos derredores ,
é ter mais que intenções de querer , querer às vezes é uma ânsia espelhando o foco inverso ,
é mais que lutar , lutar às vezes ajuda mas também pode radicalizar ,
é mais que mudanças , mudanças às vezes são breves mãos de tinta em madeiro caído ,
é afinal mais que tudo isso , basta a nossa transformação interior ,
e na certeza de cabermos dentro dela ,
Aí sim , nós poderemos !

Recebido do primo Távio
Curitiba (20/01/2009)

domingo, 18 de janeiro de 2009

Presente

Todos nós somos
abençoados,
mas poucos enxergam
essa dádiva.

Todos nós somos
presenteados,
mas poucos enxergam
o conteúdo.

Todos nós somos
chamados,
mas poucos atendem
a súplica do Pai.

Poetrix 4

Toque

de mãos entrelaçadas,
das carícias trocadas,
dos lábios macios.

Tempo certo

nem ontem, nem amanhã
o hoje se fez presente
na nossa vida calmamente.

Bençãos

de luz
descortinada no horizonte
da vida de nós dois.

Viver

a felicidade do presente
com experiência do passado
construindo o amanhã.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Busca

Eu te busco
com olhar brilhante
mentalizando tua imagem.

Eu te busco
com ouvido afiado
ao som do telefone.

Eu te busco
em sonho
alternando a realidade.

Eu te busco feliz
e, de repente,
estás ao meu lado.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Antônio Carlos

Um querido amigo poeta, meu incentivador no retorno à escrita e a participação no Movimento Poetrix.
Conheça seus sites.

http://www.contemplacaopoetica.com.br/

www.almadepoeta.com/antoniomenezes.htm

http://acmpalavrasversos.blig.ig.com.br/

sábado, 10 de janeiro de 2009

SOBRE O POETRIX

O POETRIX é um poema composto de título e uma estrofe de três versos (terceto) com um máximo de trinta sílabas métricas.
Característica Principal: O poetrix é minimalista, ou seja, procura transmitir a mais completa mensagem em um menor número possível de palavras e sílabas. (Bula Poetrix)
O site do movimento internacioanl poetrix: http://www.movimentopoetrix.com/
visite

POETRIX 3

Fenix
Se eu cair, levanto.
Eu ultrapasso obstáculos.
Eu renasço das cinzas.

O FRIO
do teu olhar
congela meu peito que arde
de amor.


MELANCOLIA
Contemplo o horizonte
nas águas espelhadas do rio calmo e vazio
de ti.


ESPERANÇA
E fostes
para não mais voltar
mas esperei, com esperanças no olhar.

Quisera eu

Ser igual a quem tu queres
ser teu suspiro de amor
e teu alento.

Nadar por entre
teus ínfimos pensamentos
pra desaguar nos teus braços
o meu amor.

E assim melhor seria a vida...

A florir a cada amanhecer
estampando a alegria
da primavera,
nos meus braços sempre teu o meu prazer.

POETRIX 2

Horizonte

imenso telão mesclado
todo amarelo-alaranjado
derrama sobre nós azul-marinho da noite.

Aeroporto

Lugar de chegada e partida
de doces e tristes despedidas
de saudade que vai, mas fica.

Beleza

qual bola de fogo
no despertar da manhã
aquece, oh sol, minh’alma dorida.

Saudade

chega de mansinho
despertando em mim
sentimentos adormecidos.

Reviver

E a gente chora
e lamenta a vida...
Não vê você,
não vemos nós,
a beleza do lugar.
Vida cheia de vida
abre teus olhos pequenos
às grandes maravilhas
criadas com amor de Pai.
Espalha amor
em cada ser que cruzares,
em cada palavra que lançares,
e o vento diluirá o lamento
revivendo a esperança interior.

O Dia

São sons
que escuto ao longo
do amanhecer:
de sinos,
de pássaros,
de vozes...
Ao despertar,
o dia se inicia
brindando o amor.

Tempo


Cadê teu cheiro,
cadê você?
Perdi teu rumo na curva
do vento.
E o pensamento? Fazer o quê?
Deixar rolar
como rolam as ondas?
Tomara que morra na areia do tempo.

POETRIX

Mini-amor (amizade)
Elo que
ata corações
em sintonia.

Impotência
querer e não poder,
amar sem corresponder,
desistir sem querer.

ILHA
E no abandono
Em que me encontro
sou náufrago de você.

Chuva
de pétalas
de rosas,
aroma das boas obras.

Agora

No cair da noite
com essa chuva que bate na janela,
penso em nós dois.
Se forte,
por que a ausência?
Palavras firmes
não sólidas porém.
Atitudes contrárias
qual côncavo e convexo
demonstram descaso.
É hora de crescimento.
A vida é plena pra quem quer amar.
Uma segunda chance
que foge entre os dedos,
esses dedos que tocam
sentimentos, afagos e carinhos,
mostram tua fragilidade.
A hora é agora,
daqui a pouco, poderá ser tarde demais...

Pássaro


Para o amigo Antônio Carlos (Recife)

O poeta é um pássaro
que canta e encanta
nossos dias enfim.
Que envia melodia
nas letras sonoras
e nos toca a alma
e nos banha de luz.
Quisera eu voar
e alcançar as estrelas.
Flutuar nos acordes
da tua canção.

Arrependimento

Um vazio na noite
insônia que ronda
meu leito,
desapartado de ti.

Mas estás aqui
na visão fixa
que te enquadra
meu pensamento

E me arrependo
das coisas que jamais fiz
pra te ter e te atar
bem juntinho de mim.

Avesso

É como se alguma coisa brotasse do meu interior para dar forma a pensamentos transformando-os em palavras. E essas palavras são sentimentos, sonhos, anseios, desejos, relacionamentos, lembranças que tento traduzir em forma de versos, de escritos enfim.
Escrevo tudo aquilo que resgata convivência, experiência, desilusão, percepção interior, reflexão, paixão, vida e amor. Daí o título "Avesso" porque vem pra fora toda essa gama de sentimentalidade desejando se expressar.
Com isso me descubro, descubro o outro e a vida.
Vida que deve ser plena de beleza, de harmonia com a natureza, com o nosso semelhante e de acordo com as leis de DEUS.